sexta-feira, 24 de março de 2017

Outra vez os pais na escola

A apresentação das pesquisas
No dia 8 de, março de 2017 tivemos várias apresentações de pesquisas sobre vários reis de Portugal, Lendas de Portugal, Leonardo D’Avinci e Lagartixas. Os pais assistiram e adoraram. Este ano já foi a segunda vez que vieram à nossa sala ver as comunicações.
Também era o dia da mulher e tínhamos feito um cartaz sobre “Uma mulher é ….”  Cada um leu o que tinha dito.
No final a turma apresentou a dramatização do poema ´´ O casamento da franga'' de Jaime Cortesão e o “Jarrinho” de Fernando Pessoa.
Os pais adoraram e aplaudiram.
Gonçalo Nóbrega - 4º A – Escola Básica de Árvores







DIa da Mulher

Uma mulher é…
É uma alma preparada para ajudar, espalhar amor e paz pelo mundo inteiro. – Rúben
Uma Mulher é um ser vivo, um animal racional, tal como o Homem. Sem a Mulher não havia rapazes e raparigas. -  Rodrigo
Uma pessoa muito amiga, com muita paz e às vezes chata. - Gonçalo Almeida
É uma pessoa importante. - Luís
É uma pessoa simpática e está disposta a salvar o mundo. Dá-me carinho e amor. - Alberto
Uma Mulher é quem comanda o mundo. Se não houvesse Mulheres os Homens não faziam nada. – Lara
É uma grande companhia. Uma pessoa que sabe ajudar. Ela sabe acalmar, faz as suas tarefas em ordem. É uma pessoa responsável. – Rafael
É uma pessoa teimosa mas com bom coração. – David
É um coração cheio de ternura. – Diana
É carinhosa, responsável e trabalhadora. – Gonçalo Costa
É uma pessoa que devemos respeitar, uma pessoa que não devemos excluir, uma pessoa a quem devemos dar carinho, uma pessoa que não devemos julgar só por ser Mulher. – Matilde
É uma pessoa querida, engraçada, carinhosa, um pouco convencida mas tem um coração muito bom. – Mariana
Uma Mulher dá muito amor, paixão, carinho e limpa a casa para que o mundo seja melhor. As Mulheres deixam o mundo mais limpo. São arrumadas. As Mulheres que eu conheço fazem tudo o que eu referi. A minha mãe pode ser, às vezes chata, mas eu adoro-a pois ela é a minha Mulher. As Mulheres são muito importantes. – Sofia
Uma Mulher é uma pessoa nossa amiga que nos faz bem e se esforça para conseguir o melhor para nós. – João Guilherme
Uma Mulher é inteligente, bonita, carinhosa e amorosa para ajudar o mundo. – Gonçalo Nóbrega
É uma pessoa corajosa que luta para o mundo ficar melhor. – Ana Rita
É uma pessoa em quem posso confiar, dá-me alegria e miminhos quando preciso. – José Pedro
 É uma querida, é fixe, dá muito amor, às vezes chatinha, uma grande Mulher pronta a ajudar o mundo inteiro e ajuda-me a perceber o que eu não percebo. – Tomás
É a única espécie do mundo que é melhor a dar carinho e amor e nunca pudemos deixá-las sozinhas senão não saberíamos o que é dar carinho e amor. – Guilherme
As Mulheres são chatas para o nosso bem e não para o nosso mal. – Filipe
As Mulheres dão paz. – Leonardo
As Mulheres são amor e carinho. – Tiago
É uma pessoa que nos dá amor e carinho. Recebe-nos de braços abertos. – Adriana
Transmite amizade, amor, carinho e é muito chata. – João Pedro

4ºA-  Escola Básica de Árvores    - Dia da Mulher                                                        

Trabalho dia do pai

A vinda da mãe do Tomás
No dia 9 de março, a mãe do Tomás, a Carla, veio a nossa sala de aula ensinar-nos a fazer um porta-chaves, para oferecermos ao pai no seu dia.
               Para fazermos o porta-chaves utilizámos: argolas, feltro, cola quente, tesoura, as letras iniciais do nome do pai (em papel), fio, as mãos, alguma paciência, entusiasmo e perseverança.
   Como fizermos:
    1-Pegamos nas iniciais, em papel e um marcador.
    2-Por cima do feltro colocámos as iniciais, do nome cada pai, contornámos, com marcador, duas vezes, e ficaram desenhadas duas letras.
   3-Recortamos as iniciais do pai.
   4-Atamos o fio à argola e colocamo-lo entre as iniciais de cada pai.
   5-Colámos e deixámos secar.
Estava pronto o porta-chaves.
 A turma gostou imenso de os fazer e de ter a mãe do Tomás cá.
Nós achamos que os nossos pais irão adorar!

             Tomás e Filipe - 4º A – Escola Básica de Árvores


Mais uma aula na horta

A aula na horta
No dia oito de Março às duas e meia da tarde a nossa turma, quarto A, foi visitar a horta.
            A horta tem faveiras, ervilheiras e alhos que foram semeadas e plantados em Janeiro. Já estão grandes. Há uma figueira já tem olhinhos e a cerejeira com a flor quase a abrir.
Aproveitámos para trabalhar matemática. Medimos as dimensões da horta: tem dois metros e oitenta centímetros de comprimento de uma parte; um metro e noventa e cinco centímetros de um lado e de largura tem um metro e sessenta e cinco centímetros de um lado do outro lado de largura tem um metro e oitenta. Não tem forma de retângulo. Na sala de aula fizeram-se os cálculos para sabermos o perímetro.
     Vários meninos arrancaram as ervas daninhas. Também se mediram as dimensões do rego dos alhos e tem quarenta de largura e de comprimento tem sessenta e cinco centímetros. Este tem forma retângular. O canteiro da salsa tem oitenta e cinco de largura e de comprimento tem cinquenta e seis. A cerejeira tem de perímetro trinta e cinco cm.
              Fizemos os regos e plantámos morangueiros. Transplantámos as lentilhas que tínhamos na sala num garrafão de plástico com terra.
            Alguns meninos observaram pequenos seres vivos que passeavam no solo. Encontraram um ralo.
   Foi assim a nossa aula na horta. Gostamos muito destas aulas. Vamos lá várias vezes.
Texto original do Luís, melhorado -  4º A – Escola Básica de Árvores

 


Em janeiro fizeram-se sementeiras

Em março houve aula na horta.
                 


 Mediram-se as dimensões da horta





 Observou-se a cerejeira e mediu-se o seu perímetro. Verificou-se que aumentou 8 cm do ano passado para este ano


Mais uma sopa

A nossa terceira sopa
            No dia catorze de março de 2017, fizemos a terceira sopa da turma mas a primeira deste ano.
Quando fomos à horta vimos duas couves do ano passado e decidimos utilizá-las numa sopa. No dia anterior combinámos o que cada um trazia.
Alguns meninos trouxeram os ingredientes, já preparados, e mediram a massa deles, numa balança de pratos. Aproveitámos para trabalhar medidas de massa e resolver alguns problemas.
Depois de todos os alimentos sólidos dentro da panela acrescentámos água. Desta vez fizemos revisão às medidas de capacidade.
Escrevemos a receita de sopa para que para cerca de 50 pessoas.
Ingredientes:
580 g de cenoura ; 570 g de nabo;450 g de cebola; 520 g de corgete; 890 g de batata; 60 g de aipo e salsa; 320 g de grelos; 440 g de couve da nossa horta; 5 litros de água; sal q.b. e azeite q.b.
Preparação:
Misturámos todos os ingredientes numa panela e deixamos cozer num disco elétrico.
Enquanto a sopa cozia resolvemos alguns problemas e conversámos sobre a origem dos ingredientes utilizados.
Por fim comemos a sopa que nos deliciou.

Todos sabemos que a sopa faz parte de uma alimentação saudável e que deve ser comida antes do prato principal. 








Mudanças de estado físico

As nossas experiências
            Às quintas-feiras, a nossa turma faz Ensino Experimental das Ciências.
            A  primeira experiência, no segundo período, teve como questão problema: Quantas imagens de um objeto se formam combinando dois espelhos planos em posições distintas? Foi uma experiência muito engraçada e aprendemos muito.
            A segunda experiência teve por título: Como se distinguem sólidos de líquidos? Foi uma experiência emocionante.
            A terceira experiência teve por título: Qual o efeito da temperatura no estado físico? Foi uma experiência incrível.
            A quarta experiência teve por título: Como simular o ciclo da água? A experiência foi incrível, e ficamos a perceber o ciclo da água.
            A quinta experiência teve por título: O que acontece à massa e ao volume da água quando muda de estado físico? Foi uma experiência incrível e emocionante e ficámos surpreendidos.
            Todas estas experiências foram incríveis e ficámos a saber muito.
                        Os momentos de Ensino Experimental são muito bons: somos obrigados a pensar sobre a questão problema, a explicar o que pensamos, a fazer o plano da experiência, a ter muito cuidado para que nada falhe, a observar e responder à questão problema. Não temos medo de dizer o que pensamos e não ficamos tristes se ao fim as nossas ideais estavam erradas pois com os Cientistas acontece o mesmo.

Autores Diana e João Guilherme: 4ºA- Escola Básica de Árvores









 











domingo, 5 de fevereiro de 2017

Abóbora


Doce de abóbora


Desta vez o avô da Matilde ofereceu a abóbora e a avó Tina veio ajudar a confecionar o doce.
Fez-se muito trabalho com significado: escreveu-se a receita, trabalharam-se as proporções, fizeram-se diversas pesagens (as medidas de massa) resolveram-se problemas, trabalhou-se sobre o dinheiro,  realizou-se  uma pesquisa sobre a abóbora.